Domingo, 4 de Maio de 2008
Por entre o doce som
Da velha sinfonia,
Os meus dedos escorregam
Nas suaves teclas
Da harmonia.


Flutuas em paz,
Segredas-me uma história,
Um sonho,
Um conto.

Reavivas-me a memória,
Da infância oculta.

Tempo perdido
Nas ligeiras ondas
Que encaminham
Estas palavras.

Miseráveis das partituras
Que me atormentam
O ingénuo consciente.

Cada nota, uma praga
Rogada pela castanha madeira
Da melancolia.
Serenata romântica
Nascida de entre
As nuvens da fantasia
Numa sonata
De inverno...


publicado por BSH - Bill Stein Husenbar às 12:42 | link do post | comentar

1 comentário:
De Aqueta a 17 de Maio de 2008 às 13:50
Cara, um Austríaco escrevendo poesia em português? Muito bom mesmo! Também gostei muito! Mas como foi que isso aconteceu? hehehehe


Comentar post

links
blogs SAPO
RSS