Sábado, 24 de Maio de 2008

Eramos como uma equação. Adicionavamos alegrias, dividíamos beijos, subtraíamos as tristezas e multiplicavamos a nossa . Desencontrava-me da infelicidade diária. Escondia-me dos monstros dessa gruta. Não quero entender a lógica nem comprrender o evidente. Não quero se quer seguir sem ti por essa floresta de pecados e infortúnios... Não me deixes chorar mais! Seca-me as lágrimas de solidão, o choro misericordioso... Vem-me falar dos momentos vencidos por nós! Dos sorrisos trocados, das palavras confessadas, das mentiras pregadas, das perguntas objectivas. Vem novamente tocar-me, abraçar e no meu ombro afagar tristezas esquecidas. Vem sentir o cheiro dos eucaliptos, abençoados pela Senhora... Doce ensejo! Volta-me a questionar sobre a veracidade do nosso amor. Volta-me a provocar, enganar, atormentar...



publicado por BSH - Bill Stein Husenbar às 10:11 | link do post | comentar

1 comentário:
De margarida a 24 de Maio de 2008 às 10:34
Só se vence o ódio ou a indiferença com o poder da invenção do amor em dar inesperadamente muito mais do que foi perdido...
Beijos


Comentar post

links
blogs SAPO
RSS